sexta-feira, 29 de maio de 2009

A culpa é nossa

Longa vida à democracia e à liberdade de opinião. Vida curta, curtíssima, à pouca informação e, principalmente, aos conceitos errôneos que se originam por causa dela.

Há poucos conceitos aos quais a situação se aplica tanto quanto aos famigerados Diretos Humanos.

Certamente o leitor já ouviu alguém maldizer os direitos humanos por aí. "Esse povo dos direitos humanos fica tomando conta de bandido, enquanto isso o cidadão de bem sofre"... não é assim? Isso quando não aparecem outros raciocínios do tipo "vai todo mundo tomar conta do bandido e ninguém se preocupa com a vítima...".

E é aí que entra a frase que abre o post. Se uma pessoa acha que "bandido tem tudo que morrer" (ou "bandido bom é bandido morto, na frase clássica"), até vá lá. É uma opinião - da qual discordo, que fique claro - mas não deixa de ser uma opinião. E a sociedade democrática tá aí para que ouçamos opiniões e interajamos com ela de acordo com o necessário.

O preocupante, nesse caso, é colocar os coitados dos direitos humanos como responsáveis pela "proteção ao bandido", de acordo com esse senso.

Tal raciocínio veio à tona ontem, quando a Anistia Internacional soltou um relatório sobre os direitos humanos em todo o planeta. Na parte relacionada ao Brasil, o analista da ONG foi direto ao ponto: "existe um conceito infeliz no Brasil que é que os direitos humanos só defendem bandidos".

Tim Cahill, o responsável por assuntos brasileiros da Anistia, foi além: o conceito de que só "bandidos" são beneficiados "é popularizado e utilizado por pessoas que têm interesse em mantê-lo", de acordo com reportagem do UOL.

Não entrarei nesse mérito. Não sei se tem gente que ganha com isso, nem cabe a mim julgar. Mas que já passou da hora desse conceito ser revertido, isso é verdade. E ninguém melhor pra dar esse passo inicial do que a mídia. Que tal falar que moradia, emprego, saneamento, alimentação - para bandidos e "cidadãos de bem" - são direitos humanos? Que tal ensinar isso na escola, que tal propagar a ideia de que os direitos humanos são algo que, na prática, todo mundo concorda?

Inclusive, a liberdade que um sujeito tem de falar que "bandido tem tudo que morrer" também está inclusa nos direitos humanos, só pra deixar claro...

2 comentários:

Alternativa Brasil disse...

Excesso de paciência?

Demora de José Serra em assumir que está na disputa presidencial só beneficia candidatura de Dilma

http://portal.alternativabrasil.org/

Guto disse...

Bem lembrado que nossa liberdade em dizer algo está inclusa nos Direitos Humanos. O famosos "Direitos Humanos" é mais uma das coisas boas que são mal usadas por aqui, de forma eleitoreira para ambos os lados. Um lado usa o DH pra ir em bairros pobres, fazer média, defender alguém que cometeu algum delito e, claro, pedir votos depois. A visão que o DH só serve pra bandidos se perde se olharmos nossos sitema carcerário...não, eu não gostaria de ficar com mais 134 pessoas num espaço feito pra 12. Ficar ociosos, em espaços confinados, expostos a doenças e várias condições sub humanas não condiz com o que se fala do DH. Após isso, os que sobrevivem, não tem sua recolocação na sociedade e passam mais tempo ainda marginalizados. Do outro lado tem os que marginalizam, utilizando o discurso anti DH entre os conservadores e os desatentos que não entendem o sentido desse direito de tds nós. Enfim, uma roda que gira através dos tempos, entre marginalizados e os que marginalizam...vamos seguindo, sem perspectiva de melhoras. Se um dia isso mudasse seria bom e veriamos que todos humanos deveriam ter seus direitos preservados.